Francisco
Simões


Inicial

Poemas

Crônicas

Biografia

Prêmios

Entrevista

Fotos

Homenagem

Links

e-mail

 

Álbum de Fotos - Arquivo

 

COUVES E BERINGELAS

Meus amigos, hoje lhes trago mais uma realização bem sucedida da minha Lena em suas incursões pelo pomar de nosso quintal, que também tem uma bela e bem sucedida horta. Vocês tiveram 2 meses para ver a maravilha que foi a plantação de abóboras de Marlene, e agora lhes exibo nessas fotos seu sucesso na plantação de couves e beringelas. Tudo muito natural, sem agrotóxico. Maravilha. Não há nenhuma foto repetida, eu lhes garanto. E a bananeira já está lá com outro cacho a crescer, além de que a mangueira e as árvores de acerolas, seguem muito frutíferas.

Por favor, vejam as fotos das couves e berinjelase, e quem tem casa e quintal, tente, não vai se arrepender.
Saudações hortifruti granjeiras do
Francisco Simões.

 

---

 

PAI E AVÔ

 

Amigos, este mês resolvi mostrar a vocês pessoas queridas as quais eu já me referi em algum texto porém preservara as fotos das mesmas. As cenas que verão aqui foram registradas durante uma visita a mim e a Cabo Frio no segundo semestre do ano de 2003.

 

Franci Mara é minha filha do primeiro casamento com Maria José Duarte Ogorondik, já falecida, e Claudinha, minha neta, via Franci, sua mãe. Aparece também em algumas fotos a minha querida irmã Otília Dora, médica competente.

 

As três vivem em S. Paulo há muitos anos, sendo que a mana Dora chegou lá muito antes, claro. Ela tem um filho, meu sobrinho, o Marcelo, que é também funcionário do Banco do Brasil e mora e trabalha na capital paulista.

 

Nos registros fotográficos elas visitavam cá em Cabo Frio o Forte de S. Mateus, assim como a pequena enseada dos pescadores, por trás do mesmo, além de estarem passeando na nova e bonita Praça das Águas, e nas finas e brancas areias de nossa praia, na altura do Braga, próximo às dunas do bairro.

 

Esta visita valeu muito para mim por vários motivos, até porque eu não vou a S. Paulo há muito tempo e só falava com elas por telefone e por e-mail. Elas são parte também importante de minha família e da minha vida, sendo que a maioria de meus irmãos e irmãs vivem em Belém do Pará. Lá tenho muitos sobrinhos, alguns que sequer cheguei a conhecer pessoalmente, pelo tanto de tempo que não visito minha terra natal. Reconheço que estou em falta com eles.

 

Como pai, irmão e avô, convido-os a ver as dez fotos que selecionei da visita a que me refiro acima. À mana Dora, minha filha Franci, e minha neta Claudinha, esta que completou 19 anos agora no dia 13 deste, o meu carinho, a minha lembrança, o meu amor.

 

(Francisco Simões.    (Setembro / 2008)

.........................................................................................................................................

EXPRESSÕES

Amigos, hoje procurei selecionar 22 fotos entre tantas que mantenho em muitos álbuns de registros sobre nossos queridos Touche, Safira e Tuane. Busquei considerar fotografias que mostrem expressões seja num gesto, seja numa atitude inesperada, seja numa pose significativa, ora sozinhos, ora em dupla, ou em companhia de Lena, de Adrielle, de Luís, de Mateus, o amiguinho deles que vive no Delícias do Rancho, em plena Via Lagos, ou mesmo comigo.

Espero que vocês gostem.

Francisco Simões. (Junho / 2008)

 

---

UM CACHO DE BANANAS

Pode parecer uma imensa bobagem eu falar sobre um cacho de bananas. Entretanto tenho acompanhado um que está a se desenvolver cá em casa. O cacho está lá já há alguns meses, e como não usamos agrotóxico, nada antinatural, esta demora para os frutos amadurecerem é normal.

Fiz alguns registros fotográficos durante um certo período mostrando aspectos que a maioria das pessoas deve desconhecer. As fotos estão na ordem em que o cacho vem se desenvolvendo. Reparem que por baixo das bananas há um grande elemento no qual vão ocorrendo transmutações com o tempo.

Entre folhagens marrom claro vão surgindo elementos que nos sugerem, com um pouco de imaginação, pequenas naves interplanetárias. Observem bem, com boa vontade, claro, e verão uma espécie de “estacionamento” de pequenos discos voadores. Eles crescem em número e com o tempo também mudam seu aspecto completamente. As bananas permanecem verdes, e ainda estão assim.

Na parte de baixo do elemento que acompanha o cacho, percebam que se forma algo como uma imitação de um rosto humano. Poderão vê-lo bem em close-up numa das fotos. Os olhos, o nariz, a boca, enfim, o rosto está muito bem definido. Eu jamais tivera esta curiosidade. Com o passar das semanas as folhagens em marrom vão se apossando de todo aquele cenário descrito acima.

Hoje, passados meses, as bananas continuam com um verde muito bonito mas ainda não amadureceram. Há que respeitar a natureza, não fazer como é comum hoje em dia, através de processos nada naturais para crescerem mais do que seria normal e amadurecerem muito rápido. É a fruta que compramos nos mercados.

Agora eu os convido a verem as onze fotos que fiz.

Frâncico Simões. (Maio / 2008)

A CASA NA ÁGUA

Certo dia, passeando à volta da lagoa por onde passam as águas do Canal de Itajuru rumo à Araruama, aqui em Cabo Frio, vi aquela casa rústica, toda de madeira, construída na água da lagoa. Logo me veio à idéia: “Ora que espertalhão, assim ele não precisa pagar IPTU”. Claro, a casa não se assentava em terra, logo...

Imaginação fértil a minha, mas acabei sabendo por um amigo que a intenção dos que a construíram não fora essa. Seus proprietários parece que são pescadores e usam a referida casa para nela guardar seus equipamentos de pesca.

Pensei melhor e concluí: “É, faz sentido.” Encostam seus barcos no pequeno ancoradouro da casa e assim facilmente tanto pegam seus instrumentos de pesca quanto lá os guardam ao retornar da mesma.

A posição em que ela está em nada atrapalha as eventuais lanchas que por ali passam. Igualmente ela está a pouca distância da terra e nas águas calmas da lagoa. Foi uma boa idéia, com certeza, pelo menos na minha visão.

Até quando ela vai resistir a algum mau humor eventual de algum prefeito?! Isto não podemos saber, mas dizem que já está faz um bom tempo. Boa sorte aos amigos da CASA NA ÁGUA.

Francisco Simões. (Março / 2008)

 

GLAUCO como Tico, na rua.

GLAUCO ferido, no filme TICO.

GLAUCO com Zezé.

GLAUCO FERNANDES - Capa do CD.

 

 


 

 

 

 

 

 

---

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nesta atualização de agosto/2006 estamos mostrando alguns flagrantes felizes da comemoração dos meus 70 anos na casa da boa amiga Marlene. Gosto de comemorar, gosto mesmo, pois cada ano é mais uma etapa que vencemos no permanente desafio que é a vida. Pouco se me dá a idade, importa-me sim estar vivo, ter amigos, recebê-los, abraçá-los, compartilhar com eles e elas a minha alegria.

 

Desta vez até a boa amiga Nilcéa e seu marido, nosso bom José, fretaram uma van para vir de Rio das Ostras, à noite, estar conosco também. Maravilha, não há presente maior. O prazer de abraçar nossa simpática dentista amiga, a Dra. Andréa. Amigos da antiga, jovens amizades, presenças certas nos momentos mais incertos.

 

E a surpresa de ver que Grasiele montara escondido um painel com diversas fotos que registram momentos importantes da minha vida. Estou ali desde criança, em família, no meu casamento em 1964, com Zezé, comemorando outros natalícios, revendo meus irmãos e irmãs, minha filha, minha neta, embarcando para viagens longas... meu Deus, que idéia a menina teve. Imaginem minha emoção ao chegar à casa de Marlene!

 

Bem, vamos então às fotos. Espero que gostem também.

 

 

Nosso Álbum de Fotos recebe hoje 16 fotos. Registros que fiz na casa de Marlene mostrando a convidativa varanda, as deliciosas acerolas, Guilherme com Touche e Twane, o pôr-do sol entre as árvores, visto da varanda, e o show diário dos beija-flores. Espero que as apreciem.


Eu e Zezé em nossa casa em Cabo Frio


Recebendo o honroso título de Cidadão Cabofriense


Eu paraninfando Grasiele, filha de Marlene em 1999


Jantando no Eugênio C


Eu em Lyon, França


Zezé e amigos na festa do título de Cidadão Cabofriense


Eu no Maior Varal de Poesias do Mundo, em Cabo Frio
outubro 2000


Na comemoração dos meus 64 anos, 2000


Zezé com Sofia Ag. Royal em Lisboa, 1998


Nós com Papai Márcio Noel


Nós no Castelo de Palmela, Portugal


Minha filha Franci, neta Claudinha e mana Dra. Dora

 
Eu e amiga Marlene nos meus 64 anos


Com amigos Luis e Ilda, no Seixal, Portugal


Brincadeiras no Eugênio C


Com amiga Carolina no Palácio de Queluz em Portugal


Em Cascais com Carvalho e Manon


Eu, Zezé e amigos na festa do título de Cidadão Cabofriense


Glauco Fernandes


Um certo dia, em Cabo Frio


Com os amigos Fernando e Conceição - Portugal


Com irmã Mª Luiza, também já falecida


Com Bruno e Lívia, em Teresópolis


Com manas Rosa e Luiza em Ipanema


Cumprimentando Comandante Eugênio C


Zezé com Mariana, Serginho & Cia


Minha filha, minha neta e um amiguinho


Mana Dora na Praça das Águas-CF


Em Cabo Frio


Integrando-me às estátuas de rua de Milão


Com Manon e Carvalho no Monumento aos Descobrimentos Lisboa


Em frente à praça de touros de Lisboa


Brincando com a Torre Eiffel ao fundo


Curtindo a piscina


Em Buenos Aires


Olhos no horizonte


A simpática Juliana


Brincando com Edinho


Juntos para sempre


Marlene e Grasiele


Nos meus 65 anos


Thayná e Yuri


Na AABB


Na noite de Cabo Frio


No Parque das Águas


O alegre Guilherme


O bom Márcio


O sorriso de Mônica


Tabajara, o amigão


Em Cabo Frio, no Forte


Foto Artesanal de Mônica


Glauco e amiga Dilene


Grasiele em Ipanema


Luiza e Marlene em Ipanema


Marlene, Mônica e Touche


Mônica em Cabo Frio

Veja também:

Cantinho da Saudade

Álbum de Fotos

Fotografia Artesanal

Cantinho do Touche

Cantinho da Vida - Eduarda

Macro Fotografia

Arte Fotográfica

Pomar

Meu Paraíso

Festa dos Fogos

Cabo Frio

Viagem a Espírito Santo