HOMENAGEM A SARITA BÁRROS

 

Amigos e amigas, hoje decidi prestar minha modesta homenagem a esta grande personalidade que é a amiga Sarita Barros. Estava devendo a ela este gesto, sem que nada me cobrasse, pela amizade de pouco mais de dez anos. Conheci Sarita na revista Rio Total, de Irene Serra. Ela tem no seu Arquivo do Coojornal 94 textos.

 

A boa amiga Sarita também pode ser lida neste outro link do Rio Total http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-002.htm onde ela se desnuda através de um Curriculum Vitae elaborado com criatividade, humor e muita sinceridade. Não deixem de a visitar lá. Vale a pena.

Anotei isto que Sarita escreveu um dia no Rio Total e repasso agora a vocês: Viver não é preciso, disse Pessoa. Concordo. Não persigo tanto o chegar quanto o percorrer. Adoro perceber as diferenças do caminho. Sentar e olhar à volta. Contemplar a paisagem, sentir o vento no rosto. Respirar a plenos pulmões, embora vivendo um turbilhão.”

Vamos deixar que Sarita fale sobre ela mesma para que todos a conheçam bem:

“Sarita Barros é formada em Matemática pela UFSM, pós-graduada em Saúde Mental Coletiva pela URCAMP. Escreve poemas desde a adolescência.

 

Nascida no pampa, quase toda a vida em Bagé. Tem poemas em cadernos, gavetas e CPU. Alguns em sites e antologias. Procura sentir o prazer de viver em tudo o que faz. Algumas publicações: Papos e Pontos, pela Editora EdiUrcamp, Bagé (autoria, com Sonia Alcalde, 1995), Verso Universo Reverso, pela Editora Tchê!, de Porto Alegre -1998; Seis Contistas de Bagé (co-autoria, 2004); 1000 versos do Sul e algumas letras perdidas/ Antologia comemorativa - Cultura Sul 20 anos (co-autoria, 2008). Membro do Cultura Sul (www.culturasulbage.com.br).

 

Organizadora, em parceria com Sonia Alcalde, da Antologia Festilenda, ALBA Consultoria, 2000 - Reedição da “Lagoa da Música/Pedro Wayne em parceria com Sonia Alcalde, ALBA Consultoria, 2000.”

 

Façamos aqui uma pausa para eu lhes apresentar a homenageada, a simpática, inteligente, criativa, bem humorada, culta, elegante e bonita, Sarita Barros:

 

   

 

As fotos acima foram feitas em sua recente viagem à Índia, participando de um dos muitos cursos que ela tem freqüentado, especialmente de Yoga e Ayurveda.

 

Vamos deixar que Sarita registre aqui os principais cursos que tem freqüentado nas duas áreas acima mencionadas por mim. Primeiro os cursos de Yoga :

 

- Joinville. Curso na Casa de Yoga Slhani Om da Professora Laura Garcia Packer, em 2002 (250 h).

- Florida, Uruguai. 2003. Curso da “The International Sivananda Yoga Vedanta Centre”, com sede em Canadá (250h). Esse curso tem agora no Brasil, em Garopaba, SC e o mentor é Júlio FalavignaGopala – de Porto Alegre.

- Yoga Integrativa no Centro Montanha Encantada em Garopaba, sob a direção de Joseph e Lílian Le Page (500h). 2004/2005.

- Yogaterapia Integrativa no Centro Montanha Encantada em Garopaba, sob a direção de Joseph e Lílian Le Page (500h). 2005/2006.

 

- Nessas andanças a nossa Sarita encontrou o Ayurveda:

 

- Leela Matta, na Chácara Ananda da Laura Packer.

- Dr. José Ruguê Ribeiro Júnior, na Montanha Encantada no curso Yoga e Ayurveda

Formação com o Dr. Ruguê, em Florianópolis (21 módulos). O Dr. é um dos pioneiros em Ayurveda em nosso país. Ministra cursos em Uberlândia (clínica, ashram e farmácia), São Paulo, Florianópolis. Também em Portugal e Itália. 2007/2008.

- Cursando com Arjuna Das na Chácara Ananda em Campo Alegre. Esse curso vai até julho deste ano.

- O Prof. Arjuna levou (dez 2009 a fev. 2010) a turma à Índia para o curso sobre Panchakarma, certificado pelo “Greens Ayur study center – GURUKULAM” junto ao Greens Ayurvedic Hospital. Dirigido pelo Dr. C. P. Asghar.

 

Voltando ao trabalho literário da amiga Sarita Barros vou lhes dar uma pequena amostra da poeta gaúcha, de Bajé, com duas de suas poesias:

 

Cachorrento

DESABRIGO

Cachorro
Sarnoso e chaguento
De mudo lamento
Olho baço-remelento
Afasta o passante
Que joga piedade ao vento
Ou
Com desamor virulento
Assenta-lhe pontapé violento
Na vã esperança
De afugentar medos
Sujeitos no peito
Em balsâmico desalento
Onde o fio tempo
Escorre lento.
    
“Cave Canem”
 

Em um coração
construí morada
finquei raízes
aos ventos resisti.
Quando ele parou
perdi o ninho
e vago ao céu
sem asa ou véu.

   

Sarita figura em muitas Antologias por várias razões, como participação em concursos nos quais foi premiada, a convites de Editoras, etc. Os amigos poderão conhecer muito mais desta gaúcha maravilhosa, visitando-a nos seguintes sites:

www.riototal.com.br  /  www.culturasul.com.br / www.notivaga.com / www.portalcen.org / www.blocosonline.com.br

 

Nossa amizade posso dizer que se iniciou logo que comecei a escrever para o Rio Total, isto ali por Janeiro/2001. Eu voltava a divulgar meus escritos, digamos assim, publicamente pela internet, e foi Sarita, assim como Irene Serra, uma das minhas grandes incentivadoras. Independente do nosso trabalho de divulgação de crônicas e poesias nós nos comunicávamos rotineiramente em conversas informais. Eu precisava saldar esta dívida de gratidão para com ela.

 

A boa amiga Sarita sempre foi desprendida de tudo. Uma boa mostra disso são os versos que compõem o poema abaixo. Leiam, por favor:

 

DE CABELOS E TINTAS

 

Deixei meus cabelos livres

De tintura, henna, pincéis

Amigos querem-nos tingidos

Com ares modernidade.

Dizem que branco envelhece

Demonstra fragilidade.

Que importa a idade?

Assim brancos são bandeira

Proclamando liberdade.

Tinta é preconceitualidade

ditadura e sujeição.

Frágeis são escudos feitos

De pincéis, tinturas, pós.

Forte é a natureza que

Registra o tempo na face e

Aureola cabeças

Desafiando convenções.

 

Para falar de Sarita em todo o seu esplendor de mulher, mãe, escritora, poeta, amante da vida, e também de yoga e ayurveda, amiga dos seus amigos, sincera, leal, sempre presente, este espaço seria e é muito pequeno, com certeza. Todavia acho que consegui fazer minha modesta homenagem a esta grande mulher tal como eu desejava que fosse.

 

À querida Sarita, que a vida nos mantenha sempre amigos. Que tu, gauchinha bonita e talentosa, jamais esqueças este amigo que te mantém eternamente num canto do coração, admirando e aplaudindo o teu trabalho, e te desejando toda a sorte do mundo e sucessos sempre, sempre.

 

Francisco Simões.    (Março / 2010)

[Fechar]